Pular para o conteúdo

Forrageiras auxiliam na dieta bovina e no ganho de produtividade na seca

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

pecuária leiteira leite forrageira milheto

O período de seca é uma das maiores preocupações dos produtores de leite e carne, uma vez que a ausência das chuvas eleva os custos com ração, silagem e reduz a produção. Segundo especialistas, uma maior produção de matéria verde proporciona um custo menor para a produção.

Produtor em Ibirapuitã, no Rio Grande do Sul, Anderson Rigo sofreu na safra passada com a estiagem severa que afetou a região sul do Brasil. A saída encontrada para a auxiliar na alimentação dos animais destinados à produção de leite foi o milheto.

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Na propriedade, Rigo chegou a realizar três cortes para a confecção de pré-secado. Os cortes, ao todo, produziram 87 bolas de 550 kg cada. Além disso, ele revela ter observado melhora na palatabilidade dos animais.

Rudimar Piekas tem um plantel de 48 animais em Francisco Beltrão, no Paraná, e também adotou o milheto. Ele obteve ganhos na produção de leite com baixo custo, já que teve uma redução de 66% na ração e 50% na silagem pelo melhor uso das pastagens.

Conforme Piekas, sua produção diária aumentou em 10 litros de leite por animal, alcançando uma produção de 30 litros de leite por animal ao dia.

Gado, governo

Foto: Embrapa Territorial

Maior produção e menor custo ao produtor

“Uma maior produção de matéria verde traz ao produtor um custo menor para a produção do litro de leite e do quilo de carne, isso devido a maior oferta de alimento na propriedade”, pontua Julio Ricardo Zannin é engenheiro agrônomo e representante comercial da ATTO Sementes.

A ATTO Sementes conta hoje no mercado com o Híbrido de Milheto Valente ADRF 6010. Tanto Anderson Rigo quanto Rudimar Piekas utilizaram tal tecnologia em suas propriedades. E, de acordo com Zannin, o desempenho dos criadores se deve ao conjunto de características do Valente, que permite para as atividades, tanto de corte quanto leiteira, uma maior produção de matéria verde e uma melhor conversão de matéria seca em quilos de carne e litros de leite.

O Valente, explica Zannin, possui um rápido desenvolvimento. Entre 22 e 25 dias já é possível obter o primeiro corte.

“Comparado ao capim sudão, os animais vão poder entrar no 6010 no piquete, por exemplo, 12 a 15 dias antes, com uma forrageira de melhor qualidade, que tem uma proteína maior”, diz o engenheiro agrônomo e representante comercial da ATTO Sementes.

Outro ponto da variedade de milheto é a vida vegetativa longa, de mais de 90 dias para florescer. O que proporciona ao produtor um volume de matéria verde e seca maior, atendendo o planejamento e a demanda forrageira do criador.

A ATTO Sementes salienta que o Híbrido de Milheto Valente ADRF 6010 possui três tipos de uso: Pastejo, Pré-secado e Silagem.

 

Clique aqui, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Mato Grosso e receba notícias em tempo real