Pular para o conteúdo

Putin usará acordo da ONU como alavanca no G20, diz diplomata

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Vladimir Putin - agenda verde

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

O presidente russo, Vladimir Putin, provavelmente usará a possível extensão do acordo de grãos do Mar Negro, mediado pela ONU, como forma de ganhar influência e dominar a cúpula do G20 no próximo mês na Indonésia. É o que disse um diplomata europeu informado sobre as negociações sobre grãos.

+ Comissão de Agricultura aprova R$ 2 bilhões em emendas ao Orçamento

Antes do vencimento do acordo de grãos, em 19 de novembro, que permite a exportação de grãos ucranianos do Mar Negro, autoridades russas disseram repetidamente que há sérios problemas com ele. Mas um diplomata europeu, que pediu para não ser identificado por causa da sensibilidade das discussões, disse que Putin participará da cúpula do G20 na ilha balneária de Bali, que começa em 15 de novembro.

O Kremlin, que ainda não confirmou a presença do presidente da Rússia, recusou comentários imediatos. Putin disse no dia 14 de outubro que ainda não havia tomado uma decisão final sobre se iria ou não. Se ele participar, será a primeira grande cúpula global da qual o chefe do Kremlin participará ao lado de grandes líderes ocidentais — incluindo o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden — desde que a guerra contra a Ucrânia começou, em 24 de fevereiro.

“É uma maneira de os russos manterem as cartas na cúpula do G20”

“O acordo de grãos será a peça central desta cúpula do G20 e todos tentarão convencer Putin a estendê-lo, essencialmente para permitir que ele seja prorrogado ou por mais tempo”, disse o diplomata europeu. “É uma maneira de os russos manterem as cartas na cúpula do G20, mas um rollover ou uma extensão de longo prazo do acordo de grãos não lhes custa nada.”

Putin, G20 e acordo de grãos

soja, grãos

Foto: Silvio Ávila/ Ministério da Agricultura

O acordo de grãos mediado pelas Nações Unidas é crucial para os mercados de alimentos: permite a exportação de grãos da Ucrânia, um dos maiores exportadores de grãos do mundo, que a invasão russa havia interrompido. Desde que o acordo foi fechado em 22 de julho, vários milhões de toneladas de milho, trigo, produtos de girassol, cevada, colza e soja foram exportados dos portos ucranianos do Mar Negro.

Os líderes do G20 pressionarão Putin a estender o acordo, disse o diplomata. Em última análise, a Rússia permitirá que o acordo seja prorrogado por quatro meses – ou até mesmo uma extensão maior, informou. “A Rússia levará ao limite, mas estenderá porque não quer enfrentar o opróbrio internacional de encerrar o acordo de grãos”, pontuou o diplomata.

“Este é o primeiro grande evento desde o início da guerra e todo chefe de Estado que quiser ser um mediador — começando com o presidente Macron (da França) — irá direto para o quarto de hotel de Putin para ser o mediador que convenceu Putin a estender o acordo de grãos – então Putin será o fazedor de reis nesta cúpula”, complementou, conforme informações divulgadas pela agência de notícias Reuters.

__________

Saiba em primeira mão informações sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo. Clique aqui e siga o Canal Rural no Google News.