Pular para o conteúdo
- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Continua alerta para uma grande mudança no tempo a partir deste fim de semana. Haverá a formação de uma área de baixa pressão atmosférica, entre o fim do sábado (29) e o domingo (30) entre Paraguai, região Sul e Mato Grosso do Sul. Esse sistema, posteriormente, vai dar origem a um ciclone, a uma frente fria e vai espalhar chuva pelo Centro-Sul do país até o início da próxima semana.

+ Tempestade provoca pouso forçado em Foz do Iguaçu

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

As chuvas mais intensas devem ocorrer entre o oeste da região Sul, sul de Mato Grosso do Sul e algumas áreas do estado de São Paulo. Elas terão volume bastante expressivo, mas podem vir acompanhadas por granizo e ventania, especialmente entre na madrugada de sábado para domingo. Há, ainda, potencial para transtornos nas lavouras, podendo provocar erosão em algumas áreas, principalmente do Paraná. O estado sulista, aliás, já está com o solo bastante encharcado devido às chuvas frequentes de outubro.

“Vai voltar a chover de forma mais expressiva sobre o interior do Matopiba” — Nadiara Pereira

“Além disso, as chuvas paralisam as atividades no campo, especialmente as de colheita do trigo, das culturas de inverno e o plantio das culturas de verão”, alerta Nadiara Pereira, meteorologista da Climatempo. Fora isso, a frente fria que vai se formar no início da próxima semana deve avançar rapidamente, espalhando mais chuvas pelo interior do país. “Mas no decorrer da primeira semana de novembro, esse sistema deve ajudar a organizar um novo corredor de umidade, sendo mais intenso sobre as áreas mais ao Norte do Brasil. Com isso, vai voltar a chover de forma mais expressiva sobre o interior do Matopiba”, observa a meteorologista, ao se referir a outra região produtora.

“Os corredores de umidade devem se formar com maior frequência sobre a metade Norte do Brasil e, por isso, são esperadas chuvas acima da média entre o interior da região Norte, grande parte do interior nordestino e áreas mais ao norte entre o Sudeste e o Centro-Oeste. Minas Gerais e áreas mais ao norte de Goiás devem receber volumes bastante expressivos”, comenta Nadiara. “Essa chuva garantirá recuperação da umidade no solo para o plantio das culturas de verão, mas, por outro lado, o excesso de umidade poderá impactar as atividades no campo, correndo o risco de paralisar momentaneamente essas atividades”.

Frente fria, frio intenso e geadas

frente fria - frio intenso - inmet

Foto: Agência Brasil

Quanto às temperaturas, continua o alerta para o frio intenso na virada de outubro para novembro. A expectativa é para o avanço de uma intensa massa de ar polar no início da próxima semana, acompanhando a passagem de mais uma frente fria. O declínio da temperatura será mais acentuado na região Sul, onde poderá ter formações de geadas nos primeiros dias do próximo mês, o que poderá afetar a qualidade do trigo, que está em fase de floração no Rio Grande do Sul.

E não é só o Sul do Brasil que deve ser afetado. As temperaturas devem cair bastante também no interior do Sudeste e do Centro-Oeste. O frio chega até em áreas mais ao sul da região Norte, fenômeno conhecido como friagem. Entre o Sudeste e o Centro-Oeste, as temperaturas mais baixas devem atingir valores por volta de 6 e 7 graus Celsius, como serão os casos de Avaré (SP), nas áreas mais ao sul de São Paulo, sul de Mato Grosso do Sul, regiões serranas de São Paulo e Minas Gerais.

“No entanto, nestas áreas do Sudeste e Centro-Oeste, não há alerta para geadas em áreas produtoras. O frio deve chegar com forte intensidade, mas não tem previsão para ocorrência de geadas em áreas produtoras de cana-de-açúcar e de café”, pontua Nadiara.

_______

Saiba em primeira mão informações sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo. Clique aqui e siga o Canal Rural no Google News.

Frente fria derruba temperaturas no fim de semana; confira - massa de ar seco

Foto: Pixabay