Pular para o conteúdo

DF mostra vocação para ser vitrine tecnológica do agro

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

“Apesar do nosso quadrilátero ser pequeno, nós temos no Distrito Federal algumas atividades que são expoentes para o País.” A declaração é do presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape), Fernando Cesar Ribeiro. Em entrevista ao Canal Rural, ele falou do papel e da presença do DF no cenário do Agro nacional. De acordo com o presidente da Fape, o DF tem uma alta produtividade e pode se tornar um grande potencial agropecuário.

“Hoje as maiores produtividade de milho, soja e trigo. Ninguém imaginava uns anos atrás que no cerrado poderíamos plantar trigo, e hoje é uma das maiores produtividade aqui no Distrito Federal e nos seus arredores. Então Brasília tem a sua potencialidade agropecuária muito forte”, completou.

Segundo Fernando a produtividade na capital, com os resultados acima e outros mais, só é possível devido à tecnologia, que, vem colocando o DF em destaque.

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

“Nós temos cinco grandes centros de pesquisas da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O que acaba ajudando bastante os produtores, pois os seus testes em várias culturas estão sendo realizados aqui. Como foi o próprio trigo. Então nós temos várias culturas tendo sua potencialidade sendo crescida aqui no nosso Cerrado”, acrescentou.

No Distrito Federal, existem hoje, cinco centros de pesquisa da Embrapa, que são a Embrapa Agroenergia, Embrapa Café, Embrapa Cerrados, Embrapa Recursos, Genéticos e Biotecnologia e Embrapa Hortaliças.

Pequi sem espinho vendido pela Emater-GO e Embrapa Cerrados

Produção de uva

A produção de uvas no cerrado brasiliense, fora da área de clima mais frio, de onde a planta é endêmica, tem as suas vantagens. De acordo com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), atualmente são 40 produtores de uva espalhados por todo o DF e mais de 74 mil hectares plantados da fruta. Isso significa um aumento de 100% no número de produtores e de 60% no tamanho da área cultivada, nos últimos quatro anos. Fernando aposta na produção e declara que o DF pode ser referência na produção de vinho.

“Pela sua particularidade de ter uma variação térmica muito grande, de dia calor e de noite é frio, principalmente na época do inverno. Então você tem essas condições ambientais que permite ter a uva tem um excelente de qualidade para produção de vinho. Dez produtores se uniram e estão montando a vinícola Brasília. A ideia é fazer vinho aqui no Planalto Central vinhos que se destacam na qualidade”, confirma.

Pé de uva

Foto: Carolina Mazzaro/Ascom Emater-DF

Orgânicos

O Planalto Central também se destaca na produção de orgânicos. De acordo com a Emater-DF a tendência vem desde 2016 e, nos últimos 5 anos, registrou-se o crescimento de 528% no setor. No ano de 2021 a área de cultivo chegou a 696 hectares, 2.190 produtores estão na atividade e a diversidade de produtos subiu para 94.

“Hoje Brasília é considerada a capital do orgânico. Nós temos um grande consumo de orgânicos aqui. Nós temos grandes fazendas desses produtos. Eu acho que isso é uma uma grande vocação do Distrito Federal, vocação de ser vitrine tecnológica para os outros estados”, finalizou Fernando.

Orgânico Orgânicos mercado supermercado

Foto: Fábio Santos/Canal Rural

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.