Pular para o conteúdo

Defensivos agrícolas – alta na demanda aumenta a importação

Defensivos agrícolas – alta na demanda aumenta a importação

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

O setor de defensivos agrícolas deverá adquirir este ano mais produtos importados, para atender a demanda do país por agrotóxicos.

A indústria brasileira de agrotóxicos importa grande quantidade de matéria-prima dos insumos utilizados pelos agricultores brasileiros, e tem que aumentar a compra de produtos importados para produzir e atender a demanda do país por agrotóxicos.

defensivos
defensivos

Os negócios foram comparados a anos anteriores, mas a indústria prefere fazê-lo mais cedo por causa de uma possível escassez de produção.

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

As compras chegarão entre julho e agosto, e a primeira rodada de plantio de grãos acontecerá em meados de setembro. Isso torna os prazos de produção e logística apertados.

As preocupações do setor se justificam porque o Brasil é totalmente dependente dos produtos vendidos na China, e 80% das matérias-primas para a produção de agrotóxicos no Brasil precisam ser importadas.

Durante os períodos de pico de demanda, mesmo diante do aumento dos custos de produção das culturas,

Também impulsionado pelos custos de fertilizantes, espera-se que o consumo de agroquímicos permaneça alto devido à disseminação de pragas e doenças, bem como ao aumento da área plantada no Brasil.

defensivos1
defensivos1

Uma boa adubação diminui o risco de pragas. Assim a necessidade de pesticidas diminui respectivamente.

O preço das commodities estão altos, o que estimula os produtores a não reduzir os níveis de investimento em agrotóxicos.

Agricultores brasileiros trataram quase 2 bilhões de hectares de terra com pesticidas industriais no ano passado, um aumento de 12% a mais que a 2020 informa o órgão responsável.

Entre os produtos utilizados, 27% foram agrotóxicos, 23% herbicidas e 18% de fungicidas.

O aumento na área tratada com pesticidas é reflexo do aumento das pragas pragas, doenças e ervas daninhas de difícil controle nas lavouras.

Para 2022, a expectativa do setor é que a área tratada cresça de 8% a 10%, da mesma forma as compras dos produtos.

Leia também Agro Negócio

Gostou do post?

Deixe seus comentários!