Pular para o conteúdo
- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

As condições atmosféricas têm sido favoráveis para a formação de sistemas frontais e áreas de instabilidade sobre o Sul do Brasil neste início de primavera. É o que indica, por exemplo, a previsão do tempo. Essa condição climática tem gerando um padrão bem distinto entre os acumulados de chuva entre a região sulista e o Norte e o Nordeste.

+ Danos e mortes: Paraná tem ‘dilúvio’ com quase o dobro da média de chuvas

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Para o decorrer desta semana, os modelos novamente indicam a presença de intensas áreas de chuva entre o oeste de Santa Catarina, o oeste e sudoeste do Paraná e o sul de Mato Grosso do Sul. Como o solo já se encontra úmido, a tendência é de manutenção dessa condição ao longo dos próximos dias. A partir de sexta-feira (21), as instabilidades avançam em direção ao Sudeste e, consequentemente, atingem grande parte do Centro-Oeste.

O norte e o nordeste do Mato Grosso, regiões onde a chuva ainda está regular, deve receber volumes entre 40 e 60 milímetros nos próximos 10 dias. Sobre o Matopiba, as chuvas atingem o Maranhão, o Tocantins e a Bahia a partir do próximo fim de semana. Esse sistema será o primeiro da primavera que se alinhará com a umidade da Amazônia numa faixa mais ao norte. Assim, favorecerá justamente áreas que até então não vinham recebendo volumes regulares de chuva.

“Uma característica bem típica do La Niña” — Nadiara Pereira

Em relação à temperatura, espera-se novo declínio também a partir do próximo fim de semana. Dessa forma, as baixas temperaturas devem atingir o Sul e Sudeste. Não há, contudo, riscos de geadas para essas áreas. “As mínimas podem ficar abaixo dos 10 graus Celsius em algumas áreas do Sul em pleno outubro, uma característica bem típica do La Niña”, explica Nadiara Pereira, meteorologista da Climatempo.

Previsão do tempo: La Niña, instabilidades e chuvas

chuvas intensas

Foto: Pixabay

O La Niña deve seguir atuando até o fim do primeiro trimestre de 2023. Fica, nesse sentido, o alerta para possíveis temporais sobre o Paraná entre quinta (20) e sexta-feira (21). Isso porque há a tendência de prejuízos às atividades de campo. Pode-se, assim, agravar ainda mais as condições dos alagamentos. Conforme noticiado pelo Canal Rural, alagamentos fizeram um produtor rural perder 5 hectares de plantação de milho em São João (PR).

As instabilidades devem migrar mais ao norte até o final do mês de outubro, e dessa forma, vão trazer mais umidade a porção sul do Matopiba e especialmente chuva mais generalizada sobre o Mato Grosso. Por outro lado, conforme esperado para essa safra 22/23 com a presença da La Niña, as chuvas passam a ficar mais irregulares sobre o Sul, especialmente o Rio Grande do Sul.

_________

Acompanhe as principais notícias sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo. Clique aqui e siga o Canal Rural no Google News.

chuvas rápidas - frente fria - previsão do tempo - áreas de instabilidade

Foto: Freepik