Pular para o conteúdo

agricultores do Sudeste estão cautelosos com a segunda safra

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Enquanto em SãoPaulo os produtores de milho semeiam a primeira safra, os agricultores em Minas Gerais aguardam as chuvas e pontuam que a segunda safra do cereal 2022/23 será mais cautelosa. Os principais motivos são os altos custos de produção, a presença de cigarrinha nas lavouras e problemas climáticos nos últimos dois anos.

Em Patos de Minas, município mineiro, o plantio da safra 2022/23 ocorre apenas em áreas irrigadas, como comentado pelo produtor Virgílio Queiroz Cunha. Segundo ele, a semeadura ocorre com milho semente, milho doce e em alguns casos comercial.

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Cunha destaca que mais de 80% do cereal plantado na região é destinado à segunda safra.

milho - igp-m - USDA

“Esse ano com o alto custo de produção o produtor não quer arriscar muito na segunda safra. Nos últimos dois anos tivemos problemas climáticos, alinhado a isso há a cigarrinha, que tem causado sérios prejuízos também”, diz o produtor de Minas Gerais.

São Paulo espera 190 sacas por hectare

Em Itaberá, interior de São Paulo, o produtor Bernhard Kiep revela que irá semear 200 hectares de milho. De acordo com ele, a expectativa é que as 150 sacas de cereal colhidas no ciclo passado na primeira safra sejam superadas e atinjam a marca de 180 a 190 sacas por hectare.

+Confira mais notícias do projeto Mais Milho

 

Clique aqui, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Mato Grosso e receba notícias em tempo real