Pular para o conteúdo

47 milhões de aves morrem nos EUA por gripe aviária – Uai Agro

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Mais de 47 milhões de aves morreram de gripe aviária ou foram abatidas por causa da doença neste ano nos Estados Unidos. O novo surto foi divulgado pela agência Reuters nesta terça-feira (18).

Segundo especialistas, isso estimulou as proibições de exportação, reduziu a produção de ovos e perus e contribuiu para os preços recordes dos alimentos básicos antes da temporada de férias nos EUA. O surto agrava a dor econômica para os consumidores que lutam contra a inflação crescente no país americano.

- - - - - PUBLICIDADE - - - - -

Gripe Aviária passada

Em 2015 foi registrado o pior surto de gripe aviária nos EUA até hoje, com 50,5 milhões de aves mortas, segundo a Reuters.

Os agricultores estão lutando contra um subtipo da cepa H5N1 do vírus que sobreviveu durante o verão, quando o aumento das temperaturas normalmente reduz a gripe aviária, disse Rosemary Sifford, diretora veterinária do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

O mesmo subtipo, conhecido como linhagem ganso/Guangdong, está se espalhando pela Europa, disse ela em entrevista. A Europa já está sofrendo sua pior crise de gripe aviária, com quase 50 milhões de aves abatidas.

As autoridades estão encontrando o subtipo em uma gama mais ampla de aves selvagens, como patos, do que no passado e parece viver nas aves por mais tempo, disse Sifford. Uma ameaça elevada de infecções pode persistir até o verão de 2023 à medida que migram, disse ela.

Os Estados Unidos estão monitorando aves selvagens para a gripe aviária em quatro rotas de migração conhecidas como flyways, acima das duas anteriores, e planejam fazer o mesmo no próximo ano. “Este vírus pode estar presente em aves selvagens no futuro próximo”, disse Sifford.

O surto infectou rebanhos em 42 estados desde fevereiro, duas vezes mais do que em 2015, mostram os registros do USDA. As infecções diminuíram durante o verão deste ano, mas não pararam como em 2015.

A tenacidade do vírus surpreendeu alguns produtores, que aumentaram a limpeza e a segurança nos celeiros desde o surto de 2015. “Infelizmente, o que fizemos provavelmente não foi suficiente para nos proteger dessa alta carga de vírus na população de aves selvagens”, disse Sifford.

Preço Recorde da Turquia

Minnesota, o principal estado produtor de perus do país, sofreu infecções em dois rebanhos comerciais no final de agosto, depois de três meses sem casos, mostram dados do USDA. O estado então viu mais casos em setembro. “Ver um pico em agosto não era algo que se esperava”, disse Ashley Kohls, diretora executiva da Minnesota Turkey Growers Association.

Após as infecções, leva cerca de seis meses para descontaminar as fazendas e retomar a produção de perus, disse Kohls.

A Hormel Foods Corp (HRL.N) , com sede em Minnesota, proprietária da marca Jennie-O Turkey Store, disse que espera que a gripe aviária reduza sua produção de perus pelo menos até março de 2023. “Trabalhamos muito duro, mas claramente isso ainda é um problema”, disse o CEO da Hormel, James Snee, em uma teleconferência no mês passado.

Inflação

Os preços de varejo do peito de peru fresco e sem pele atingiram um recorde de US$ 6,70 por libra no mês passado, um aumento de 112% em relação ao ano anterior e 14% acima do recorde anterior de 2015, disse o American Farm Bureau.

A produção de carne de peru este ano deve cair 6% de 2021 para 5,2 bilhões de libras, de acordo com o USDA.

Os agricultores dos EUA, que enfrentam altos custos de alimentação e mão de obra, já estavam cortando a produção antes do surto devido à queda nos lucros. Os estoques de peito de peru em instalações de armazenamento a frio atingiram um recorde de baixa este ano, mostram dados do USDA.

O produtor de perus de Indiana, Greg Gunthorp, disse que mercearias, varejistas online e outros compradores ligaram para procurar perus inteiros e peitos. Peitos de peru sem antibióticos estão sendo vendidos por US $ 7 a US $ 9 por libra no atacado, em comparação com cerca de US $ 3 antes da pandemia de COVID-19, disse ele. “O mercado de perus agora é o mais louco que já vi”, disse Gunthorp.

Relações comerciais

Infecções em rebanhos desencadearam restrições à exportação de aves dos EUA, prejudicando ainda mais os produtores. A China, um grande comprador, bloqueou aves de estados inteiros com casos confirmados e está demorando mais do que deveria para suspender as proibições, disse o Conselho de Exportação de Aves e Ovos dos EUA.

A China suspendeu, neste mês, as importações de aves do Arkansas, o terceiro maior produtor de frangos criados para carne, depois que o estado relatou sua primeira infecção do ano, mostram os registros do USDA. O secretário de agricultura do estado, Wes Ward, disse que esperava que o Arkansas pudesse evitar a doença. “O vírus mudou”, disse Ward. “Espero que seja um daqueles em que o vírus se extingue depois de um ano ou mais e talvez as coisas se acalmem novamente”, desabafou.

Com informações da Agência Reuters.